Prevenção de varizes da pelve pequena em mulheres

As varizes da pelve pequena nas mulheres são provocadas por um fenômeno como o fluxo sanguíneo reverso através da veia ovariana, surgindo no contexto da compressão vascular.

O gatilho para o desenvolvimento da doença é considerado a gravidez, ou seja, as alterações hormonais observadas durante esse período e a crescente pressão do útero nos vasos da pelve.

Esse tipo de veia varicosa se manifesta por dores prolongadas e intensas na parte inferior do abdome, geralmente aparecendo após constante esforço físico pesado ou antes da menstruação.

Por que ocorrem as varizes da pelve e o que é? Na maioria dos casos, esta doença é diagnosticada em mulheres e, na maioria das vezes, essa doença é encontrada em pacientes com idades entre 25 e 45 anos.

Muitas vezes, esses pacientes primeiro tentam curar de forma independente as varizes – remédios populares usados ​​sem prescrever e consultar um especialista podem levar a efeitos colaterais indesejáveis, então você ainda precisa procurar um flebologista.

Os fatores que provocam o desenvolvimento desta doença incluem:

  1. Estilo de vida sedentário.
  2. Esforço físico excessivo.
  3. Problemas hormonais.
  4. Doenças inflamatórias dos órgãos pélvicos.
  5. Patologias congênitas das paredes vasculares – subdesenvolvimento, aplasticidade, fraqueza.
  6. Problemas sexuais – anorgasmia, dor e desconforto durante a relação sexual, tendo a natureza psicológica da ocorrência, costumavam praticar relações sexuais interrompidas.

As varizes da pelve são muito semelhantes ao estado das varizes nas pernas. Nos dois casos, as válvulas nas veias sofrem, o que ajuda no fluxo de sangue para o coração. A função da válvula é prejudicada para evitar o retorno do sangue. Quando as válvulas são destruídas, a estase de sangue ocorre nas veias do sangue. As veias, cheias de sangue, são esticadas e aumentam ainda mais a estagnação. A síndrome da congestão venosa pélvica se desenvolve principalmente perto do útero, trompas de falópio, vulva e até vagina.

As varizes são facilmente eliminadas sem cirurgia! Para isso, muitos europeus usam Nanovein. Segundo os flebologistas, este é o método mais rápido e eficaz para eliminar varizes!

Nanovein é um gel peptídico para o tratamento de varizes. É absolutamente eficaz em qualquer estágio da manifestação de varizes. A composição do gel inclui 25 componentes curativos exclusivamente naturais. Em apenas 30 dias de uso deste medicamento, você pode se livrar não apenas dos sintomas das varizes, mas também de eliminar as conseqüências e a causa de sua ocorrência, além de impedir o re-desenvolvimento da patologia.

Você pode comprar Nanovein no site do fabricante.

Sintomas das varizes da pelve pequena

Vários sintomas podem indicar a presença de varizes pélvicas em mulheres. O mais importante deles são dores sem causa no abdome inferior, na área pélvica, geralmente são administradas na região lombar ou no períneo. Além disso, as secreções mucosas dos órgãos genitais, especialmente na segunda metade da fase do ciclo menstrual, podem incomodar uma mulher.

Além dos principais, existem outros sintomas não menos importantes das varizes dos órgãos pélvicos nas mulheres:

  1. Dismenorreia. O aparecimento de dor durante a menstruação.
  2. Em alguns casos, a função de engravidar é prejudicada.
  3. Irradiação dolorosa para as zonas sacral e lombar, bem como para a região da virilha.
  4. O curso palpável das chamadas síndromes pré-menstruais.
  5. O aparecimento de uma crise de dor (como resultado do estresse psicoemocional transferido, excesso de trabalho físico, superaquecimento do corpo).
  6. O fenômeno da dispareunia (o aparecimento de uma sensação desconfortável na vulva ou na vagina, durante a intimidade e no final dela).
  7. A ocorrência de dor no abdome após esforço prolongado (estático e dinâmico).

Diante desses sintomas, você deve consultar imediatamente um especialista. Uma vez que esta doença pode ter muitas consequências desagradáveis:

  • a atividade dos órgãos do sistema reprodutivo é interrompida;
  • varizes podem ser uma contra-indicação ao parto natural;
  • há um sentimento de ansiedade e irritabilidade;
  • existe um medo de relações sexuais.

Também é importante notar que os sintomas acima podem ser expressos de maneiras diferentes (mais fracas ou mais fortes), algumas mulheres têm todos os sinais da doença e algumas 1-2.

diagnósticos

Para fazer o diagnóstico correto, uma mulher passa por um exame abrangente.

Quando um paciente se queixa de dor por um motivo pouco claro, o médico primeiro determina todos os fatores que causaram o início da dor. Inspecione cuidadosamente as pernas do paciente. Assim, você pode detectar a aparência de varizes. Em casos especiais, consulte um médico vascular.

  1. Laparoscopia Identifique varizes no ovário.
  2. Ultra-som do sistema de veias. O estudo permite que você veja a expansão das veias, sua tortuosidade.
  3. Dopplerografia. Detecta uma diminuição na velocidade sistólica nas veias do útero e ovários.
  4. Ovarianografia seletiva. O estudo mais preciso. É realizada pelo método de introdução de contraste pelas veias femoral e subclávia.
  5. Tomografia computadorizada. Permite excluir patologias, identificar varizes no útero e nos ovários, mostrar sua tortuosidade e extensão na tela.

O uso de tais métodos pode determinar com mais precisão os sintomas da doença.

Para padronizar o diagnóstico e tentar uma abordagem diferencial ao tratamento, A.E. Volkov classificou varizes da pélvis pequena, dependendo do diâmetro dos vasos dilatados e da localização da ectasia venosa.

Existem 3 graus desta doença:

  • 1 grau – diâmetro da veia de até 5 mm (de qualquer plexo venoso da pelve pequena), curso “semelhante a um saca-rolhas” do vaso;
  • Diâmetro da veia de 2 graus 6-10 mm com tipo total de varizes, ectasia do plexo ovariano frouxo (pl.pampiniformis ovarii), veias paramétricas da BP (pl.uterovaginalis), veias da BP do plexo uterino;
  • Grau 3 – diâmetro da veia> 10 mm com tipo total de PA ou tipo de tronco de localização paramétrica.

Dependendo da gravidade do processo patológico na pelve, é possível o uso de métodos conservadores de tratamento e intervenções cirúrgicas.

Tratamento de varizes da pelve pequena

Se uma mulher foi diagnosticada com varizes da pelve, o tratamento visa atingir os seguintes objetivos:

  1. Interrupção do fluxo sanguíneo reverso pelas veias dos ovários.
  2. Normalização do tônus ​​venoso, melhora do suprimento sanguíneo para os tecidos.
  3. Aliviando os sintomas: dor, sangramento e assim por diante.

A terapia VRMTT inclui dois componentes principais a:

  1. Medicação em curso durante a exacerbação.
  2. O uso constante de exercícios de fisioterapia para a prevenção de recaídas.

Em geral, nas varizes das veias pélvicas de 1 ou 2 graus, são utilizados métodos conservadores de tratamento (venotônicos, anti-inflamatórios inespecíficos, exercícios de fisioterapia). O tratamento conservador da síndrome de congestão venosa da pelve é sintomático, incluindo a normalização das condições de trabalho e repouso, com exceção de esforço físico significativo e estadias verticais prolongadas.

Vale a pena entender que mesmo o tratamento da mais alta qualidade não permite curar completamente as varizes da pélvis pequena. Mas, no entanto, a terapia adequada permite que você se livre da maioria das manifestações clínicas e melhore significativamente a condição do paciente.

Tratamento conservador

Devido à localização interna das veias doentes, os medicamentos são prescritos por via oral, não é possível usar géis e pomadas venosas. As seguintes ferramentas são usadas:

  1. Diosmina (detralex, flebodia) – para eliminar o aumento da elasticidade dos vasos sanguíneos, reduzir sua permeabilidade, impedir a fragilidade;
  2. Extrato de castanha da Índia (eskusan) – para aliviar o inchaço e a inflamação;
  3. Troxerutina (troxevasina) – para melhorar a saída de sangue dos vasos danificados, aumentar o tônus ​​venoso, reduzir o edema e a inflamação;
  4. Vitamina C (ascorutina) – para fortalecer as paredes dos vasos sanguíneos.

Os especialistas recomendam combinar terapia medicamentosa com fisioterapia e usar roupas íntimas de compressão especiais. Uma necessidade especial de roupa íntima de compressão ocorre durante a gravidez.

A intervenção cirúrgica

A cirurgia é uma medida extrema que é usada quando a doença é muito negligenciada e há uma predisposição para as veias da pressão arterial. A cirurgia é selecionada dependendo da localização das principais violações e prevê os seguintes procedimentos:

  • ligadura da veia ovariana;
  • ligadura da veia genital (geralmente em combinação com minifobectomia perineal);
  • Operação de Troyanov-Trendelenburg (crossectomy) – em caso de dano nas veias das extremidades inferiores.

Em caso de necessidade de intervenção cirúrgica, a seleção de ações apropriadas é muito individual, pois tudo depende da localização das varizes.

Exercícios

Os exercícios de fisioterapia para varizes pélvicas consistem nos seguintes exercícios:

  1. De pé, com os pés paralelos, suba os dedos dos pés e abaixe. Repita até 30 vezes.
  2. De pé, os calcanhares são combinados e as meias separadas. Suba em meias e caia até 30 vezes.
  3. Fique em pé, separe os calcanhares, alinhando as meias. Suba em meias até 30 vezes.
  4. Faça uma "bicicleta" e uma "bétula", observando o endireitamento completo das pernas.

Exercícios podem ser realizados em qualquer lugar. Se desejar, você pode substituir, adicionar ou remover qualquer exercício, o mais importante, verifique se o corpo não está sobrecarregado. Os exercícios de fisioterapia devem ser combinados com o uso de meias de compressão.

Nanovein  Pernas saudáveis ​​sem varizes

Remédios populares

Os remédios populares mais populares e famosos:

  1. Infusão de Kombucha (chaga).
  2. Tintura de frutos de castanha da Índia para administração oral.
  3. Tratamento com sanguessugas, que são colocadas no sacro e no cóccix.
  4. Infusão de raiz de dente de leão ou coleta de ervas com base na raiz de dente de leão. Tem um efeito venotônico.

Um papel significativo no tratamento de varizes também é desempenhado pela dieta – a nutrição deve ser equilibrada e conter uma quantidade suficiente de proteínas animais e fibras vegetais.

Prevenção

Siga também algumas recomendações simples que servirão não apenas como uma medida preventiva para a BPVMT, mas também melhorarão o estado geral do corpo:

  1. Use calças curativas especiais.
  2. Faça exercícios de respiração diariamente.
  3. Tome um banho de contraste, prestando atenção especial aos quadris, períneo e abdome inferior.
  4. Durante o trabalho sedentário ou em pé, faça pausas, caminhe 5 a 10 minutos uma vez a cada 1-2 horas.
  5. Adicione mais vegetais que contenham fibra vegetal e óleo vegetal à sua dieta. Evite alimentos condimentados e salgados, bem como alimentos que podem causar constipação.

Resultado

As complicações mais comuns desta doença são:

  • doenças do útero e anexos de natureza inflamatória;
  • doença da bexiga;
  • sangramento uterino.

Em condições de fluxo venoso comprometido, existe o risco de desenvolver trombose das veias pélvicas. Mas a frequência deste tipo de complicações não excede 3-5%.

Varizes da pélvis pequena: tratamento e prevenção

As veias varicosas nas mulheres são mais frequentemente associadas ao peso das pernas, às veias aumentadas nas panturrilhas das pernas e ao desconforto com longas sessões ou caminhadas. Poucas pessoas sabem que as varizes também ocorrem na pelve, o que causa desconforto considerável ao sexo justo e limita significativamente a qualidade de suas vidas.

Neste artigo, consideraremos uma doença, falaremos sobre tratamento e, mais importante, sobre a prevenção dessa doença.

Alguns dados da doença

As varizes da pelve pequena em mulheres (HRVMT) são um problema médico complexo. Muitos casos de tratamento bem-sucedido dessa doença crônica foram descritos. No entanto, o BPMT geralmente não é diagnosticado. Com esta doença, há uma alta probabilidade de erros de diagnóstico, especialmente em um estágio inicial.

O BPMT é causado por dois motivos principais:
1. Obstrução das veias dos órgãos pélvicos (ovários, trompas, útero), causando aumento da pressão nas áreas subjacentes e sua expansão.
2. Bloqueio de grandes troncos venosos, nos quais uma extensa rede de vias "colaterais" (colaterais) do fluxo venoso se desenvolve com a sua expansão.

BPMT é mais comum com a idade. Assim, pode ser encontrado em 20% das meninas com 17 anos. Nas mulheres na perimenopausa (45 – 50 anos), a incidência de TARV já é de 80%.
80% de todos os casos de BPVMT são dilatação ovariana. Muito raramente (1%), existem varizes do ligamento largo do útero.

Causas e mecanismos do desenvolvimento da doença

A base do BPMT é a displasia do tecido conjuntivo. Isso é uma violação da estrutura e função do tecido conjuntivo em todo o corpo. Manifesta-se pela fraqueza dos elementos que conectam as células umas às outras em todos os tecidos. Uma das consequências da displasia do tecido conjuntivo é a fraqueza das paredes vasculares, especialmente em vasos com uma pequena quantidade de tecido muscular, ou seja, nas veias. A razão do desenvolvimento da displasia do tecido conjuntivo é considerada o efeito desfavorável do feto durante a gravidez, a poluição ambiental.
O BPMT ocorre sob a influência dos seguintes fatores provocadores:
– permanência prolongada em pé ou sentado durante a atividade profissional; trabalho físico pesado;
– uso frequente de relações sexuais interrompidas como método contraceptivo, anorgasmia;
– gravidez e parto freqüentes;
– muitas doenças ginecológicas, por exemplo, endometriose, salpingite, doença ovariana, flexão para trás do útero (retroflexio);
– irregularidades menstruais, níveis elevados de estrogênio; Talvez um certo papel negativo seja desempenhado pela terapia de reposição hormonal e pela contracepção hormonal.

Sintomas da doença

O sintoma mais comum da BPMT é dor crônica no abdome inferior. Na maioria das vezes eles estão doendo, puxando, “ceder” à região lombar e inguinal. Em metade dos pacientes, a dor se intensifica antes da menstruação. A dor pode ser desencadeada por sentado ou em pé prolongado, esforço físico pesado. Às vezes, a causa do aumento da dor é a relação sexual.

Muitas mulheres relatam aumento da excreção do trato genital sem motivo. A menstruação dolorosa é característica, a síndrome pré-menstrual expressa-se.

Uma das manifestações do VRMT é a dor do períneo. Distúrbios ao urinar podem aparecer.

No exame, você pode ver varizes nos quadris, nádegas e períneo.

Métodos Diagnósticos

O principal método diagnóstico da BPMT é a dopplerografia por ultra-sonografia das veias pélvicas. Neste estudo, as veias são visualizadas usando ultra-som. Na tela, veias dilatadas e complicadas da pélvis pequena são visíveis, a velocidade do fluxo sanguíneo nelas é reduzida. Os sinais de disfunção da válvula venosa são determinados.
Um método informativo para o diagnóstico de VRVMT é a flebografia intra-uterina. Este é um estudo de veias associadas ao preenchimento com um agente de contraste claramente visível na radiografia. O resultado é uma série de imagens de veias nas quais são visíveis colaterais, veias dilatadas, locais de trombose e o estado das válvulas. O método é contra-indicado em caso de intolerância ao iodo (parte do contraste) e gravidez.
Se houver suspeita de BPMT, é realizada laparoscopia: um exame da cavidade pélvica usando um endoscópio através de uma pequena punção na parede abdominal.

O estudo mais informativo é ovarianografia seletiva: um exame de raio-x das veias ovarianas usando contraste.

Para fins de diagnóstico diferencial com outras doenças dos órgãos pélvicos, a tomografia computadorizada pode ser realizada.

É necessário realizar um diagnóstico diferencial com doenças como inflamação dos apêndices, endometriose, prolapso do útero, neuropatias pós-operatórias, inflamação do intestino grosso ou bexiga, ciática e patologia das articulações do quadril.

A terapia VRMTT visa atingir os seguintes objetivos:
1. Interrupção do fluxo sanguíneo reverso pelas veias dos ovários.
2. Normalização do tônus ​​venoso, melhora do suprimento sanguíneo para os tecidos.
3. Aliviando os sintomas: dor, sangramento e assim por diante.

O tratamento para BPVMT inclui dois componentes principais:
1. Medicação em curso durante a exacerbação.
2. O uso constante de fisioterapia para a prevenção de recaídas.

Na terapia medicamentosa, o principal papel é desempenhado pelos medicamentos venotônicos (melhorando o tônus ​​das veias) em combinação com os angiaggregantes (impedindo a formação de coágulos sanguíneos nas veias). A pentoxifilina também é indicada.

A droga venotônica moderna é Phlebodia 600 (diosmina). Pode ser prescrito no período de II a III trimestre de gravidez. A diosmina reduz a extensibilidade das veias, reduz a gravidade da estagnação do sangue, melhora a saída de linfa e ajuda a aliviar o inchaço. Normaliza a microcirculação nos tecidos, melhorando o suprimento sanguíneo. "Flebodia 600" tem um efeito anti-inflamatório.

Tome este medicamento 1 comprimido de manhã com o estômago vazio por um período de até 4 meses.

Se os ciclos repetidos de drogas venotônicas são ineficazes, o tratamento cirúrgico é possível.
O melhor método é o bloqueio artificial (embolização) das veias ovarianas. É realizada usando uma substância esclerosante especial, que é introduzida através de um cateter fino sob controle radiológico. Tal intervenção é menos traumática e eficaz.
Se tal intervenção for impossível, é realizada a remoção cirúrgica das veias afetadas.
O tratamento sintomático é o uso de anti-inflamatórios não esteróides para a dor.

Remédios populares

Os remédios populares mais populares para varizes são castanha-da-índia, raiz de dente-de-leão, kombucha (chaga). As infusões e tinturas farmacêuticas desses produtos preparados de diferentes maneiras normalizam o tom venoso. Eles podem ser usados ​​para tratar varizes não apenas das extremidades inferiores, mas também da pelve.

Prevenção

1. Normalização das condições de trabalho, com exceção de uma longa permanência na posição sentada ou em pé. Ginástica de produção, intervalos regulares no trabalho. Exclusão de esforço físico pesado, levantamento de peso.
2. Normalização das fezes, livrar-se da constipação. Deve haver mais fibra vegetal e óleo vegetal na dieta. Abandonar o álcool e fumar. Exclusão de alimentos picantes e salgados.
3. Chuveiro de contraste ascendente diário no períneo.
4. Exercícios em decúbito dorsal com as pernas levantadas (“bicicleta”, “bétula”, “tesoura”).
5. Ginástica respiratória: respiração lenta envolvendo os músculos abdominais.
6. Vestindo collants médicos especiais II classe de compressão.
7. Administração profilática de drogas venotônicas em cursos 3-4 vezes por ano.

O tratamento eficaz é reconhecido quando os sintomas da doença cessam, o fluxo venoso melhora de acordo com estudos instrumentais e a qualidade de vida do paciente melhora.

Qual médico entrar em contato

Se o diagnóstico já estiver estabelecido, é melhor ser tratado por um flebologista – especialista em doenças das veias. Caso a mulher não conheça a causa da dor constante no abdome inferior, recomenda-se uma consulta com um ginecologista. Em caso de dificuldade, um neurologista ou urologista é examinado. A importância no reconhecimento da doença é desempenhada pela qualificação do médico para diagnóstico de radiação e ultra-som. O tratamento envolve um especialista em fisioterapia, fisioterapeuta, nutricionista e, em alguns casos, cirurgião vascular.

Nanovein  Sinais de varizes em mulheres durante a gravidez

Qual é o perigo das varizes da pélvis pequena e como curá-la?

Muitas mulheres sofrem de varizes que afetam os membros inferiores. Mas há casos em que ocorrem distúrbios circulatórios nos vasos da pelve. As varizes da pelve não são uma doença rara. O tratamento deve ser iniciado imediatamente, pois a falta de terapia leva a sérias conseqüências.

O que são varizes pélvicas e quão perigosa é a doença

Um grande número de vasos localizados nos órgãos genitais externos e internos do corpo de uma mulher. O sistema venoso da pelve está bem desenvolvido. Cada embarcação possui válvulas e está conectada às vizinhas. Todo o sangue do períneo é coletado e transportado para a veia cava.

As veias lesionadas diferem das saudáveis ​​e têm as seguintes características:

  1. Transbordando de sangue.
  2. Os fracos.
  3. Fortemente frisado.
  4. Ampliado em diâmetro.
  5. Pequenos nódulos são observados na superfície.

Nas varizes, o sangue é coletado de todos os órgãos genitais (vulva, ovário, útero, trompa de Falópio), mas eles não conseguem transportá-lo para a veia cava. Como resultado, um processo estagnado se forma e o sangue penetra nas paredes dos vasos sanguíneos e tecidos, dos quais deve fluir. Os vasos estão cheios, inchaço e inflamação aparecem.

O perigo da doença reside no fato de que, no contexto de distúrbios circulatórios, pode ocorrer o seguinte:

  1. Coágulos sanguíneos. São pequenos coágulos que se sobrepõem à cavidade do vaso. Com a separação, eles podem penetrar em qualquer órgão, incluindo o cérebro e o coração. O resultado é um resultado fatal.
  2. Infertilidade O corpo feminino não é capaz de suportar o bebê.
  3. Violação do ciclo menstrual.
  4. Hemorragia do útero.

As veias varicosas da pelve pequena também são perigosas porque podem provocar o aparecimento de distúrbios ovarianos desormonais.

Existem muitas razões para o desenvolvimento de vasos varicosos da pelve, e na maioria das vezes a doença se manifesta no contexto de mudanças nos níveis hormonais e na gravidez. Provocar o desenvolvimento da patologia pode:

  1. Tratamento a longo prazo com medicamentos hormonais.
  2. Interrupção regular da relação sexual por contracepção.
  3. Numerosos ou difíceis nascimentos.
  4. O uso de contraceptivos hormonais.
  5. Disparrenia. A doença se manifesta na forma de dor durante o contato sexual.
  6. Anorgasmia. Falta de orgasmo.
  7. Grande esforço físico.
  8. Estilo de vida sedentário.
  9. Doenças congênitas do tecido conjuntivo.

Em cerca de 30% dos casos, a gravidez se torna a causa do desenvolvimento da patologia. Isto é devido ao fato de que quando o feto é formado, o sistema vascular muda. Quando expostas a certos fatores, podem ocorrer varizes.

O grau de varizes da pelve pequena

Na medicina, para determinar o grau de varizes, a classificação de A.E. Volkova. Seu uso permite determinar o nível de desenvolvimento da patologia, dependendo do tamanho da veia e localização do processo inflamatório.

Existem três graus:

  1. O primeiro grau é caracterizado por um aumento no diâmetro do vaso em não mais de 5 mm. Um curso "saca-rolhas" da veia é observado.
  2. No segundo grau, observa-se expansão do lúmen de até 10 mm.
  3. O terceiro grau é caracterizado pela localização paramétrica e um aumento no diâmetro de mais de 10 mm.

Na pelve pequena, dependendo do grau de desenvolvimento e localização do foco do processo de alteração da estrutura dos vasos sanguíneos, é possível usar tratamento médico e intervenção cirúrgica.

Quadro clínico

As varizes dos vasos pélvicos se manifestam por um complexo de sintomas. O primeiro sinal de distúrbios circulatórios é dor na parte inferior do abdômen, aparecendo sem motivo aparente. Sensações desagradáveis ​​são frequentemente dadas à região lombar ou períneo. Além disso, descargas abundantes podem aparecer na segunda metade do período.

Também os sintomas das varizes da pelve pequena são:

  1. O aparecimento de dor durante a menstruação.
  2. Fertilidade prejudicada.
  3. Manifestação intensiva de síndromes pré-menstruais.
  4. Crise de dor. É o resultado de hipotermia, excesso de trabalho ou estresse.
  5. Desconforto durante a relação sexual na vulva, ovários e vagina.

No contexto desses sintomas, as meninas podem experimentar medo de contato sexual, sensação de ansiedade, irritabilidade. Há também uma violação do sistema reprodutivo, uma mulher não pode suportar completamente e dar à luz um filho.

As veias varicosas da pelve pequena, em certos casos, são uma contra-indicação para a gravidez.

Todos os sinais de varizes da pelve em mulheres são manifestados com intensidade variável. Eles surgem de maneira complexa e em 1-2. Mas se eles ocorrerem, você deve consultar um médico para se submeter a exames e tratamentos.

diagnósticos

Quando os sintomas das varizes aparecem, o ginecologista prescreve um exame abrangente. Quando o paciente se queixa de dor lombar, o especialista realiza um exame externo e estabelece as causas do sintoma. Em alguns casos, é necessária consulta adicional com um cirurgião vascular.

Para estabelecer o grau de alterações vasculares no caso de varizes da vagina e de outros órgãos pélvicos, são executados os seguintes métodos de diagnóstico:

  1. Laparoscopia Ajuda a identificar uma doença que se desenvolve no ovário e na superfície do miométrio.
  2. Dopplerografia. É prescrito para detectar uma diminuição na velocidade do fluxo sanguíneo sistólico.
  3. Exame ultra-sonográfico do sistema vascular. Permite que você estabeleça a tortuosidade das veias da bexiga e dos órgãos genitais internos, bem como o grau de sua expansão.
  4. Tomografia computadorizada. Ajuda a estabelecer a presença de vasos varicosos, seu grau de alteração e crimpagem. Os indicadores são exibidos na tela.
  5. Ovarianografia seletiva. É um dos estudos exatos. O procedimento é realizado através da introdução de um agente de contraste nos vasos do quadril.

Com base nos resultados obtidos, o especialista determina o grau de varizes das veias pélvicas e prescreve o tratamento.

Tratamento de varizes da pelve pequena

As tarefas mais importantes da terapia para varizes da pelve pequena são:

  1. Restauração do tônus ​​vascular.
  2. Eliminação de processos estagnados.
  3. A prevenção de coágulos sanguíneos.
  4. Melhorando o tecido trófico.

A doença é tratada com uma abordagem integrada. Para fazer isso, prescreva medicamentos. O paciente deve normalizar seu estilo de vida, comer corretamente e usar roupas íntimas de compressão especiais. Deve-se lembrar que com a doença diagnosticada é estritamente proibido o uso de métodos de medicina tradicional. Eles podem ser usados ​​somente após consultar um médico, como uma terapia adicional.

Normalização do estilo de vida

As razões da impossibilidade de concepção com varizes dos vasos pélvicos e o aparecimento de outros sintomas da doença tornam-se um estilo de vida incorreto. Os especialistas recomendam:

  1. Recuse maus hábitos.
  2. Exclua em pé ou sentado por mais de três horas.
  3. Recuse-se ao esforço físico pesado.
  4. Faça ginástica diariamente.
  5. Não tome banho quente. O procedimento pode ser substituído por um chuveiro de contraste. Alterar a temperatura da água ajudará a manter os vasos em boa forma.
  6. Livre-se do excesso de peso. Para fazer isso, você pode seguir uma dieta e exercício.

Não é fácil curar a doença. Para fazer isso, você deve seguir todas as recomendações do médico. O médico também prescreve um conjunto de exercícios especiais que ajudarão a restaurar a circulação sanguínea.

medicação

No diagnóstico de varizes, também é utilizada terapia medicamentosa. Na maioria das vezes, vários grupos de medicamentos são prescritos:

  1. Phleboprotectors. Eles têm efeito anti-inflamatório, melhoram a circulação sanguínea.
  2. Flebotônicos. Os comprimidos são indicados para melhorar a elasticidade das paredes dos vasos sanguíneos.
  3. Enterosorbentes. Indicado para ligação e eliminação de toxinas no intestino.
  4. Anti-inflamatórios não hormonais. Eles ajudam a aliviar a dor e a inflamação.

Também são prescritos complexos vitamínicos que ajudam a apoiar o sistema imunológico. Para evitar a formação de coágulos sanguíneos, agentes antiplaquetários são prescritos. Os medicamentos são tomados apenas como indicado por um médico nas doses indicadas.

Compressão e escleroterapia

Nas varizes, é indicado o uso de roupas de compressão especiais, pois isso ajuda a criar a pressão necessária nos vasos. Usado em casa, conforme indicado por um médico.

A escleroterapia é realizada usando uma veia de punção, que é expandida. Um medicamento especial é introduzido no lúmen formado, causando adesão.

O procedimento é realizado com mais freqüência ao ferir veias localizadas próximas à pele.

A intervenção cirúrgica

Com graves lesões nas veias, quando há risco de complicações, é prescrita intervenção cirúrgica. Se varizes são estabelecidas, um ovário ou veia cava pode ser ligado.

Existem várias maneiras de executar a operação. O mais popular é endoscópico. Particularmente popular é o método no qual um laser de alta precisão é usado.

A escolha do tipo de operação é realizada pelo médico assistente, levando em consideração as indicações e contra-indicações.

O prognóstico para o estabelecimento de varizes da pelve pequena depende de vários fatores, por exemplo, o grau de desenvolvimento da patologia, a localização do processo patológico e a idade do paciente. As consequências surgem na ausência de terapia.

Sujeito a nutrição adequada e outras recomendações médicas, cerca de 80% das mulheres se sentem bem após o tratamento.

Os vasos varicosos dos vasos pélvicos são uma doença perigosa que deve ser excluída no planejamento da gravidez, pois pode ser uma contra-indicação para o nascimento de um filho. Mas a própria gravidez pode se tornar a causa do desenvolvimento dessa patologia, que ocorre em qualquer trimestre. Para reduzir o risco de varizes, você deve comer direito, exercitar-se e abandonar os maus hábitos.

Lagranmasade Portugal