Marcadores oncológicos de tipos de câncer de mama, finalidade, indicadores da norma, como fazer uma análise

As varizes são facilmente eliminadas sem cirurgia! Para isso, muitos europeus usam Nanovein. Segundo os flebologistas, este é o método mais rápido e eficaz para eliminar varizes!

Nanovein é um gel peptídico para o tratamento de varizes. É absolutamente eficaz em qualquer estágio da manifestação de varizes. A composição do gel inclui 25 componentes curativos exclusivamente naturais. Em apenas 30 dias de uso deste medicamento, você pode se livrar não apenas dos sintomas das varizes, mas também de eliminar as conseqüências e a causa de sua ocorrência, além de impedir o re-desenvolvimento da patologia.

Você pode comprar Nanovein no site do fabricante.

Principais marcadores tumorais

Nome do marcador tumoral O que está verificando?
tPSA Prostatite crônica, doenças malignas da próstata
fPSA Diagnóstico diferencial de carcinoma da próstata
FOB Câncer colorretal (câncer colorretal)
MAR Doenças tumorais do cólon, reto, estômago, câncer de pulmão
CA 15-3No 4 Câncer de mama, endométrio
AFP CA 19-9 CA 242 CA 72-4 Doenças tumorais da cavidade abdominal, pâncreas, fígado, vias biliares
CA 125 Câncer de ovário
UBC Câncer de bexiga
SCC Carcinoma do colo do útero, pulmões, nasofaringe e ouvido, recidiva após o tratamento

Para aumentar as chances de confiabilidade do resultado, você precisa se preparar com cuidado para o estudo.

O sangue é doado com o estômago vazio, antes da coleta você não deve se envolver em atividade física, fumar, beber álcool e alimentos gordurosos.

Um bom humor é quando você sabe que está tudo bem com você.

Marcadores tumorais desempenham um papel muito importante na terapia do câncer. Profissionais que monitoram alterações no nível de marcadores tumorais específicos também podem monitorar os resultados dos pacientes.

Aqui está um exemplo: durante a quimioterapia ou radioterapia de várias formas de câncer, é observado um rápido aumento no nível de marcadores tumorais. E isso não significa que exacerbem o câncer. Pelo contrário, sinaliza uma lise tumoral.

Quando o tumor se decompõe, ocorre uma explosão repentina dessas substâncias no exame de sangue. E após o tratamento, o médico continua a monitorar o nível de marcadores, que, juntamente com outros testes, ajudam a avaliar o estado de saúde do paciente.

É possível detectar o câncer nos estágios iniciais, ou suspeitar de seu desenvolvimento, a tendência à formação de um tumor? A medicina está procurando maneiras de diagnóstico precoce. Nesta fase, é possível determinar o início do processo tumoral por marcadores tumorais – proteínas específicas que podem ser detectadas por métodos laboratoriais no sangue e na urina nas fases pré-clínicas do processo da doença. Essas substâncias de diagnóstico são secretadas pelas células tumorais.

Oncomarkers são substâncias de natureza proteica que podem ser encontradas no sangue ou na urina de pessoas com predisposição cancerosa. As células tumorais secretam marcadores tumorais no sangue a partir do momento em que o tumor começa a se desenvolver, o que determina o diagnóstico da doença no estágio pré-clínico.

Pelo valor dos marcadores tumorais, pode-se julgar a presença de um processo tumoral e o efeito do tratamento. O monitoramento dinâmico de marcadores tumorais também permite determinar o início de uma recaída da doença.

Atenção: hoje existem mais de duzentos marcadores de câncer. Alguns deles são bastante específicos, o que significa que a localização do tumor pode ser determinada pelo valor da análise.

As doenças não oncológicas também podem levar a um aumento no valor dos marcadores tumorais.

Cerca de 20 tipos de marcadores tumorais são de importância primordial na prática.

A glicoproteína semelhante à mucina (antígeno de carboidrato 15-3) refere-se a marcadores tumorais de processos neoplásicos (tumorais) que ocorrem na glândula mamária.

Norma: 9,2-38 U / l, em alguns laboratórios – 0-22 U / ml

Observe: em 80% dos casos de câncer de mama em mulheres que deram metástases, esse marcador de tumor é aumentado.

O conteúdo do CA 15-3 é informativo para monitorar o tratamento.

É utilizado para o diagnóstico:

  • carcinomas de mama;
  • broncocarcinomas;
  • câncer gastrointestinal e sistema hepático-biliar;
  • em estágios avançados de câncer dos órgãos genitais femininos.

Além disso, o CA 15-3 pode aumentar com:

  • neoplasias benignas e doenças inflamatórias das glândulas mamárias;
  • processos hepáticos cirróticos;
  • como um “surto” fisiológico na 2ª metade da gravidez;
  • alguns processos auto-imunes.

O antígeno carboidrato 72-4 é o mais informativo na determinação do câncer gástrico. Em menos casos, confirma a confiabilidade do desenvolvimento de processos tumorais nos pulmões e ovários.

Norma: até 6,9 U / ml

Um aumento nos valores acima da norma é característico para:

  • processos malignos do trato gastrointestinal (especialmente o estômago);
  • câncer dos ovários, útero e glândulas mamárias;
  • câncer de pâncreas.

Valores mais altos também são determinados quando:

  • processos ginecológicos inflamatórios;
  • cistos e alterações fibróticas nos ovários;
  • alterações inflamatórias e cirróticas no fígado;
  • processos auto-imunes no corpo.

O marcador tumoral do fragmento Cytokeratin 19 (Cyfra 21-1) é o mais específico no diagnóstico de processos malignos da bexiga e um dos tipos de câncer de pulmão (células não pequenas).

Atenção: geralmente é prescrito simultaneamente com o CEA.

Norma: até 3,3 ng / l

O valor do Cyfra 21-1 aumenta com:

  • malignidade da bexiga;
  • câncer do sistema broncopulmonar;
  • tumores malignos do mediastino.

O aumento do valor do marcador de tumor Cyfra 21-1 pode ser observado em processos inflamatórios crônicos do fígado, rins, bem como com alterações fibróticas no tecido pulmonar.

CA-125 é um sinal precoce de câncer de ovário.

Os indicadores da maioria dos marcadores tumorais são utilizados na medicina moderna para o diagnóstico de câncer.

Na maioria dos casos, eles representam uma certa estrutura proteica, substância ou antígeno, e o aumento do conteúdo na amostra de teste do paciente pode indicar a presença de um processo maligno. Enquanto isso, esse nem sempre é o caso.

Por exemplo, o marcador de proteína embrionária cancerígena (CEA), freqüentemente usado em exames, também pode aumentar com alterações benignas das células.

O Oncormarker CA-125, usado para avaliar um tumor ovariano, aumenta durante dias críticos e com algumas patologias reprodutivas. A fosfatase óssea é frequentemente usada como marcador tumoral para metástase.

Por via de regra, marcadores tumorais altamente elevados no sangue humano são característicos de estágios graves de câncer. No primeiro e no segundo estágio, os dados regulatórios são frequentemente observados.

Nanovein  Psicossomática de varizes das pernas

Em alguns casos, os marcadores podem não subir, portanto, para avaliar os riscos de câncer durante o exame, várias proteínas e substâncias específicas são usadas, cuja análise do conteúdo da amostra do paciente fornecerá uma imagem e avaliação de risco mais precisas.

Em outras palavras, os marcadores tumorais são indicadores relativos da avaliação da probabilidade de câncer.

O diagnóstico final pode ser feito após TC, RM, biópsia ou histologia de uma amostra de tecido.

Observe que o diagnóstico preciso da doença é muito importante para planejar o procedimento cirúrgico correto. Resultados elevados e normais ao doar sangue para marcadores tumorais não fornecerão uma resposta precisa sobre a presença de oncologia.

Os parâmetros bioquímicos de um tumor podem ser determinados examinando não o sangue, mas seu tecido. Para isso, são utilizados materiais obtidos durante uma biópsia da glândula ou durante a cirurgia. Eles podem ser congelados, fixados em formalina ou em parafina.

Marcadores tumorais de tecido são usados ​​principalmente para determinar o prognóstico e a escolha do método de tratamento. Na prática, são estudados os níveis de receptores de estrogênio (ER) e progesterona (PR), bem como o HER-2 (também chamado c-erbB-2).

Além disso, com base na determinação de receptores de esteróides e HER-2, é tomada uma decisão sobre hormonais ou imunoterapia do tumor.

Em pacientes sem danos nos linfonodos, marcadores como uPA e PAI-1 provavelmente determinarão o prognóstico.

O câncer de mama é uma doença heterogênea. Ele pode ser classificado usando estudos genéticos em 4 subtipos com prognóstico e tratamento diferentes:

  • basal: sem ER, PR e HER-2;
  • luminal A: ER está presente em pequena quantidade;
  • luminal B: ER está presente em uma quantidade significativa;
  • HER-2 positivo.

Receptores de estrogênio e progesterona

O ER desempenha um papel crucial no desenvolvimento do câncer de mama. Este é um receptor através do qual os hormônios sexuais femininos, estrógenos, atuam no tecido da glândula. Em qualquer estágio do câncer, pacientes com receptores de estrogênio ("ER-positivo") são muito mais adequados à terapia hormonal.

Nos primeiros 5 anos após o diagnóstico da doença em pacientes ER-positivos, o prognóstico é melhor do que nos pacientes em que esse receptor não é detectado. Mais tarde, a diferença entre o resultado da doença desaparece.

Assim, a determinação dos receptores hormonais é usada em combinação com fatores prognósticos clínicos (estágio, tamanho da educação, etc.) para determinar com mais precisão o prognóstico da doença.

Este é o marcador de tumor mais sensível para tumores da mama. Pode ser encontrada em 15-30% dos casos de câncer invasivo. A determinação do HER-2 é obrigatória para todos os pacientes com esta doença. Se essa substância for detectada, os médicos suspeitam de um curso mais maligno do processo e de um prognóstico pior.

Todos os pacientes com HER-2 detectado devem receber imunoterapia com trastuzumab (Herceptin). Com esta forma da doença, geralmente há uma sensibilidade reduzida à ciclofosfamida, metotrexato e 5-fluorouracil, isto é, aos quimioterápicos padrão, no entanto, o indicador HER-2 não é recomendado para prever a resposta à quimioterapia.

Apesar de ter sido comprovada a relação entre a presença de HER-2 e um curso mais maligno da doença, o uso desse indicador para prever o desfecho da doença também não é recomendado.

O ativador do plasminogênio da uroquinase (uPA) e seu inibidor (PAI-1) são capazes de prever o resultado de uma doença em um tumor da mama. O uPA está envolvido no crescimento da neoplasia, invasão dos vasos e vias linfáticas, metástase.

Marcadores de câncer – o que é e qual o papel deles na medicina moderna?

Os marcadores tumorais são proteínas ou derivados específicos produzidos pelas células cancerígenas durante seu crescimento e desenvolvimento no organismo. O processo tumoral contribui para o desenvolvimento de um tipo especial de substâncias que, pela natureza das funções que desempenham, são radicalmente diferentes das substâncias produzidas por um corpo normal.

Além disso, eles podem ser produzidos em quantidades que excedem significativamente a norma. Durante a produção de testes para o processo oncológico, essas substâncias são detectadas. Se a oncologia se desenvolver no organismo, o número de marcadores tumorais aumenta significativamente; em conexão com essa circunstância, essas substâncias comprovam a natureza oncológica da doença. Os marcadores também diferem dependendo da natureza do tumor.

Se o número de marcadores tumorais aumentar durante a produção de exames de sangue, você deve pensar se há oncologia no corpo. Esse é um tipo de método expresso, que substitui muitas análises e permite determinar com alta precisão qual órgão no momento em que ocorreu uma falha.

Isso é especialmente importante para o diagnóstico da natureza maligna do tumor, caracterizada por rápido crescimento e metástase. Também existem oncologistas e marcadores tumorais específicos, que são usados ​​como diagnósticos confiáveis. Eles são usados ​​para o câncer de laringe, estômago, mama, etc.

Ensaios de marcadores tumorais

Para que a análise não dê um resultado falso positivo ou não seja negativo na presença de câncer, vale a pena seguir algumas regras antes de aprová-lo.

Informações mais detalhadas podem ser obtidas com um médico, porque cada marcador tumoral específico requer sua preparação. Portanto, antes de fazer o teste, você não deve comer, e o sangue é doado para o "estômago vazio". O último consumo humano de alimentos não deve ser anterior a 8, mas superior a 12 horas antes da coleta de sangue.

A análise dos marcadores tumorais, como todos os outros, é melhor realizada pela manhã, e o tempo é considerado ideal até 11 horas. Um aspecto importante também é considerado que três dias antes da entrega você não pode beber bebidas alcoólicas.

Além disso, pelo mesmo período de tempo, você deve se abster de consumir alimentos gordurosos e não desistir de seu corpo a esforços físicos excessivos. E no dia da entrega, é melhor não fumar. Além disso, o consumo de medicamentos não é aconselhável e, se for impossível recusá-los, vale a pena informar o médico sobre isso. Uma semana antes do teste para marcadores tumorais, é necessário abster-se de relações sexuais.

Marcadores tumorais de diagnóstico são usados ​​apenas em conjunto com outros dados clínicos e, na maioria das vezes, para triagem preliminar de uma doença ou monitoramento do tratamento.

Nanovein  Pode haver varizes nas mãos

No diagnóstico laboratorial do câncer, primeiro é necessário prestar atenção à taxa de sedimentação de eritrócitos.

Um aumento no indicador pode ser causado por um determinado estado fisiológico. O que, por exemplo, é característico de proteínas específicas de lesões malignas dos ovários e da glândula mamária, que aumentam durante o período de dias críticos.

Ao se preparar para a análise de marcadores tumorais, é muito importante seguir todas as recomendações necessárias publicadas nos sites dos laboratórios que oferecem serviços. A implementação de recomendações ajudará a obter um resultado confiante.

Se você quiser conhecer em detalhes informações profissionais sobre o tópico “marcadores de tumores e substâncias específicas para câncer – o que é isso?”, Consulte a descrição de proteínas específicas para câncer em qualquer laboratório internacional da sua cidade.

A análise deve ser prescrita por um médico.

Antes do parto, o paciente deve seguir certas regras:

  • o sangue deve ser coletado de manhã (não antes de 8 a 12 horas após a última refeição);
  • três dias antes do teste, definitivamente excluímos álcool, fumo e alimentos ricos em gorduras. Você também deve evitar produtos em conserva e defumados;
  • é importante que na véspera o paciente não se submeta a sobrecarga física;
  • Antes de fazer o teste, você não deve tomar outros medicamentos além dos necessários por motivos de saúde (após consultar um médico);
  • ao passar em alguns testes, o contato sexual deve ser excluído dentro do prazo especificado pelo médico.

Histórico de descoberta

A data de nascimento dos marcadores tumorais é considerada 1845; foi então que uma proteína específica foi descoberta, chamada Ben Jones. Ele foi descoberto pela primeira vez em um exame de urina, e o próprio Ben-Jones era um jovem e promissor especialista na época e trabalhou em Londres no St. George's Hospital, em Londres.

Foi nesse período que a bioquímica e, com ela, a imunologia se desenvolveram a um ritmo tremendo, o que posteriormente possibilitou o estabelecimento de um número ainda maior de proteínas, que mais tarde se tornaram marcadores tumorais. Na assistência médica prática, não são utilizadas mais de duas dúzias de marcadores tumorais.

Na Rússia, o câncer de fígado serviu de modelo para a detecção de marcadores tumorais. Ao estudar a composição protéica das células cancerígenas, os cientistas pensaram que detectariam os antígenos protéicos do vírus, que supostamente causaram a doença.

Quão surpresos ficaram quando descobriram que um marcador de câncer de fígado não passa de alfa-fetoproteína da AFP, que normalmente é produzida pelos tecidos da placenta durante a gravidez. Ao longo dos anos, ficou claro que a quantidade dessa proteína também aumentava na oncologia ovariana.

Os marcadores são representados por enzimas, proteínas, hormônios ou antígenos que são secretados apenas por células cancerígenas específicas e não são semelhantes entre si. Alguns tumores podem produzir vários marcadores tumorais, e outros apenas um.

Portanto, um marcador como CA19-9 sugere que o processo oncológico afetou o pâncreas e o estômago. E os testes de marcadores tumorais permitem monitorar cuidadosamente o tumor, avaliar a dinâmica do tratamento conservador e cirúrgico, seus resultados e perspectivas futuras.

Os marcadores no sangue ou na urina são determinados. Eles chegam lá como resultado do crescimento e desenvolvimento de uma célula oncológica e, às vezes, em certas condições fisiológicas (por exemplo, durante a gravidez). Existem dois tipos de marcadores, o primeiro tem alta especificidade e caracteriza cada caso específico, e o segundo pode ser com vários tumores.

A identificação de marcadores tumorais pode identificar um grupo de alto risco para oncologia. Também é possível identificar a lesão primária mesmo antes do exame inicial. Há também a oportunidade de prever uma possível recaída da doença ou avaliar a eficácia da operação.

Existem marcadores de câncer usados ​​com mais frequência para o diagnóstico. Isso inclui a alfa-fetoproteína da AFP, que é aproximadamente elevada em 2/3 dos pacientes com câncer de fígado; em 5%, pode ser aumentada na oncologia dos testículos e ovários.

Também é determinada a beta-2-microglobulina, que aumenta com o desenvolvimento de mieloma e alguns tipos de linfomas (tumores do sistema hematopoiético). De acordo com sua quantidade, o resultado da doença é previsto, em um nível acima de 3 ng / ml, não é totalmente favorável.

Um marcador padrão para o câncer de ovário é o CA 125, que ultrapassa os 30 ng / ml. Mas também pode estar presente em mulheres saudáveis, bem como na presença de endometriose, com derrame na cavidade pleural ou abdominal, com câncer de pulmão ou com câncer anterior.

O antígeno embrionário canceroso (CEA) indica o desenvolvimento do câncer colorretal, mas também caracteriza o câncer de pulmão ou mama, glândula tireóide, fígado, bexiga, colo do útero ou pâncreas.

Que pergunta seu médico deve fazer após um exame de sangue (urina) para marcadores tumorais

Coleta de sangue para marcadores tumorais

  • durante o primeiro ano após o tratamento 1 vez por mês;
  • durante o segundo ano após o tratamento 1 vez em dois meses;
  • durante o terceiro ano após o tratamento 1 vez;
  • durante os próximos 3-5 anos – duas vezes por ano e depois anualmente.

A esse respeito, deve-se notar que os desvios nos níveis de um ou vários marcadores tumorais em doenças tumorais ocorrem em 80-90% dos pacientes com câncer, mas isso nem sempre indica que um aumento na concentração de marcadores oncológicos leva a um aumento no tumor.

Naturalmente, depois que uma pessoa visita um médico, devem surgir perguntas legítimas que valem a pena fazer. Se não houver perguntas, faça as perguntas mais comuns e obtenha uma resposta que satisfaça o interesse inicial.

  • A primeira coisa que deve interessar a qualquer paciente é se a taxa de marcadores tumorais aumenta?
  • Se houver um aumento, então para qual dos marcadores tumorais e o que isso pode significar para um diagnóstico adicional, bem como para um prognóstico do desenvolvimento da doença?
  • Na presença de exames oncológicos e de aprovação de marcadores, é necessário ajustar o tratamento prescrito ou o que é eficaz o suficiente?
  • Também é necessário ter informações sobre a frequência com que os testadores devem ser testados.

Não tenha vergonha de fazer perguntas, em alguns casos elas ajudarão a salvar uma vida e também a diagnosticar precocemente uma doença tão formidável como o câncer, que está na lista de líderes no número de mortes de vidas humanas.

Lagranmasade Portugal