Como distinguir um hematoma de um coágulo de sangue na perna

Conhecendo os primeiros sinais de um coágulo sanguíneo no corpo, você pode evitar uma situação potencialmente fatal.

Um coágulo sanguíneo geralmente se forma nas veias das pernas e leva à trombose venosa profunda. O perigo de um coágulo sanguíneo é que muitas vezes passa despercebido, mas pode repentinamente sair e levar à morte.

Um coágulo de sangue é um coágulo de sangue que adquiriu um estado espesso ou semi-sólido a partir de um estado líquido.

Em geral, você precisa entender que a coagulação sanguínea é um processo necessário que evita grandes perdas de sangue em determinadas situações, por exemplo, quando você se machuca ou corta.

Quando um coágulo de sangue se forma em uma das veias, ele nem sempre se dissolve, o que pode subsequentemente levar a uma situação perigosa e até fatal.

Um trombo imóvel geralmente não é uma ameaça, mas se ele sair e entrar em órgãos importantes, como o coração ou os pulmões pelas veias, pode causar a morte.

Aqui estão alguns sinais de que um coágulo de sangue perigoso se formou em seu corpo.

As varizes são facilmente eliminadas sem cirurgia! Para isso, muitos europeus usam Nanovein. Segundo os flebologistas, este é o método mais rápido e eficaz para eliminar varizes!

Nanovein é um gel peptídico para o tratamento de varizes. É absolutamente eficaz em qualquer estágio da manifestação de varizes. A composição do gel inclui 25 componentes curativos exclusivamente naturais. Em apenas 30 dias de uso deste medicamento, você pode se livrar não apenas dos sintomas das varizes, mas também de eliminar as conseqüências e a causa de sua ocorrência, além de impedir o re-desenvolvimento da patologia.

Você pode comprar Nanovein no site do fabricante.

Primeiros sinais de coágulo sanguíneo

1. Fadiga inexplicável

Fadiga repentina geralmente indica uma variedade de problemas de saúde, incluindo um coágulo sanguíneo. Quando nosso corpo é forçado a trabalhar mais do que o normal, isso tem consequências negativas para o corpo.

Se a sensação de fadiga não desaparecer por um longo tempo, há motivos para pensar que um coágulo de sangue no braço, perna, cérebro ou peito pode ser o culpado.

2. Inchaço nos membros

No local da formação de um coágulo sanguíneo, um inchaço ou inchaço pode aparecer. Se o coágulo sanguíneo estiver no braço ou na perna, o membro poderá inchar completamente, o que ocorre devido à má circulação sanguínea.

Nesse caso, a área afetada pode mudar de cor, ficar avermelhada ou azul, aquecer ou coçar. Esta situação é muito perigosa, pois um coágulo de sangue pode sair e a qualquer momento cair em um órgão vital. Assim, por exemplo, se estiver nos pulmões, isso levará a embolia pulmonar.

3. Falta de ar

Esse sintoma pode ser bastante assustador, pois pode significar que o coágulo sanguíneo foi transferido para os pulmões. Segundo os especialistas, se as dificuldades respiratórias forem acompanhadas por uma tosse constante, esse pode ser o primeiro sinal de embolia pulmonar – bloqueio de uma das artérias nos pulmões.

Essa situação precisa ser levada muito a sério e chame uma ambulância o mais rápido possível.

4. Dor no peito ou dor respiratória

Como mencionado acima, a embolia pulmonar é uma condição potencialmente fatal. Ocorre quando um coágulo sanguíneo formado nas extremidades inferiores entra e bloqueia um dos vasos pulmonares. Um dos principais sintomas disso é dor no peito e desconforto geral na respiração, o que pode dificultar a respiração profunda.

Também é importante lembrar que a dor no coração pode indicar que o coágulo sanguíneo está na área do coração e isso pode levar a um ataque cardíaco.

5. Febre e sudorese

Esse sintoma costuma aparecer com trombose renal.

Seu principal perigo é que um coágulo sanguíneo possa interferir com o seu corpo, eliminando resíduos, o que leva a pressão alta e até insuficiência renal. No entanto, frequentemente um coágulo sanguíneo nos rins leva à febre ou aumento da transpiração.

Sintomas de trombo

6. Tonturas ou desmaios

A combinação de dor no peito e falta de ar pode causar tonturas e desmaios.

7. Palpitações cardíacas

Se a sua frequência cardíaca acelerar, pode ser um sintoma perigoso de embolia pulmonar. Quando um coágulo sanguíneo atinge os pulmões, ocorre uma falta de oxigênio e seu coração tenta compensá-lo, aumentando sua freqüência cardíaca. Este é um sinal de aviso que não pode ser ignorado.

8. Tosse inexplicável

Se houver ataques de tosse, juntamente com uma sensação de falta de ar e batimentos cardíacos acelerados, isso pode indicar que um coágulo de sangue se formou em seu corpo. Uma tosse pode ser acompanhada de sangue, e esse é um motivo sério para consultar um médico.

A causa dessa tosse pode ser um coágulo sanguíneo nos pulmões, que leva à congestão nasal e se manifesta na forma de tosse.

9. Dor de cabeça severa

Muitas pessoas sofrem de dor de cabeça crônica, mas essa dor geralmente é mais forte que o normal. Essa dor insuportável pode desativá-lo completamente, por causa do qual você não será capaz de se concentrar em nada.

Medicamentos convencionais para dor de cabeça podem não aliviar os sintomas. Nesse caso, consulte um médico imediatamente, pois isso pode indicar a presença de um coágulo sanguíneo no cérebro, o que pode levar a um derrame.

10. Dor ou sensibilidade em um membro

É muito difícil entender que você tem um coágulo sanguíneo sem conhecimento médico, mas um dos sintomas mais comuns desse problema é a dor no braço ou na perna.

Se isso não estiver relacionado ao trauma, sensações dolorosas podem alertar para trombose venosa profunda. Nesse caso, a dor pode ser observada ao pressionar ou tocar a área afetada. Para distingui-lo das cãibras musculares, preste atenção se a dor se intensifica ao caminhar ou dobrar a perna. Nesse caso, há uma chance de um coágulo sanguíneo.

Mesmo que um coágulo de sangue esteja presente em uma perna, você pode sentir dor nas duas pernas. Isso ocorre porque você está tentando aliviar o desconforto em uma perna e forçar mais a outra, o que pode levar a tensão e dor.

Coágulo de sangue em Viena

11. Pele quente ao toque

Com a trombose, a temperatura da pele pode mudar, especialmente em um local onde um trombo está presente. Você sentirá que esta área é mais quente ao toque.

Essa sensação ocorre devido ao fluxo sanguíneo prejudicado e também pode ser acompanhada por pulsação e coceira.

12. Veias vermelhas nas veias

Coágulos sanguíneos podem levar a veias vermelhas que correm ao longo do comprimento das veias e geralmente são quentes ao toque. Quando você os toca, eles são mais quentes que a pele ao redor e bastante perceptíveis. Você pode levá-los a uma erupção cutânea ou hematomas, mas se estiverem quentes ao toque, consulte o seu médico.

13. Dor na panturrilha

Quando um coágulo de sangue se forma nas pernas, a dor na panturrilha se torna um dos sintomas mais comuns. A dor é frequentemente confundida com espasmo ou cãibra muscular e, por esse motivo, um sintoma perigoso é frequentemente ignorado.

No entanto, ao contrário de uma cãibra que ocorre abruptamente e dura vários minutos, a dor na panturrilha causada pelo trombo aumenta gradualmente e pode permanecer por vários dias ou semanas.

14. Mudança na cor da pele

A vermelhidão é um dos sintomas mais comuns associados à presença de um coágulo sanguíneo e geralmente aparece em um local em que um coágulo está presente. No entanto, qualquer outra alteração na cor da pele deve alertá-lo. Por exemplo, a área da formação de um coágulo sanguíneo pode ficar pálida devido a uma diminuição no fluxo sanguíneo.

À medida que a condição piora, a pele pode adquirir uma tonalidade azulada e ficar mais fria ao toque. Nesse caso, você deve consultar imediatamente um médico.

15. falta de sintomas

Uma das razões pelas quais a trombose é tão perigosa é o fato de que muitas vezes não há sintomas precedendo-a. Pelo menos não há sinais óbvios que exijam atenção médica imediata e, antes que possamos descobrir sobre eles, algo irreparável acontece.

Por esse motivo, é importante tomar medidas preventivas para evitar que isso aconteça. Evite ficar sentado em um local por muito tempo, pratique atividade física, ajuste seu peso e monitore sua dieta para nunca saber o que é trombose.

Sinais e sintomas de um coágulo de sangue na perna

Uma das opções freqüentes de distúrbios circulatórios nos vasos das extremidades inferiores é a oclusão venosa aguda. Um coágulo de sangue na perna, cujos sintomas indicam bloqueio vascular, pode provocar uma situação mortal associada à cessação da função cardíaca. É necessário chamar a assistência de emergência o mais rápido possível aos primeiros sinais de trombose venosa das extremidades inferiores.

Quando um coágulo sanguíneo se forma nos vasos das pernas, é estritamente inaceitável a automedicação: é necessário tratar a trombose das extremidades inferiores com um flebologista ou cirurgião vascular

Nanovein  Pomadas e géis eficazes para varizes

Obstrução venosa

A trombose vascular das extremidades inferiores é um fator de risco significativo para complicações tromboembólicas perigosas, independentemente do local da oclusão. Todas as opções de bloqueio venoso são divididas condicionalmente em 2 tipos:

  1. Oclusão no sistema da veia cava superior;
  2. Bloqueio de vasos da veia cava inferior.

Coágulos sanguíneos nas veias das pernas são sempre uma lesão da rede venosa da veia cava inferior, quando um coágulo se forma no lúmen de um dos muitos vasos. A presença de um coágulo sanguíneo torna-se um motivo para diminuir o fluxo sanguíneo e aumentar gradualmente o tamanho do coágulo. Nos primeiros estágios do processo patológico, não haverá sinais externos, mas à medida que a condição das extremidades inferiores piora, os sintomas da doença aparecem. É extremamente difícil reconhecer um coágulo sanguíneo nas veias profundas, mas com danos aos vasos superficiais, é bem possível determinar a presença de bloqueio. Você precisa saber o que é trombose venosa das extremidades inferiores para consultar um especialista a tempo e evitar complicações mortais.

Trombose venosa profunda das pernas

Causas da patologia

A trombose venosa aguda das extremidades inferiores ocorre sob a influência dos seguintes fatores mais significativos:

  1. Danos traumáticos externos ou internos à parede venosa;
  2. Inflamação intravascular;
  3. Alterações genéticas no sistema de coagulação sanguínea.

Condições importantes que provocam a formação de um coágulo sanguíneo em uma veia da perna incluem:

  • falta de atividade motora normal;
  • varizes;
  • patologia infecciosa e inflamatória de qualquer localização;
  • a presença de maus hábitos (tabagismo);
  • excesso de peso em combinação com hipertensão arterial e diabetes;
  • terapia hormonal a longo prazo;
  • tumores malignos;
  • manipulações cirúrgicas.

A trombose venosa das extremidades inferiores geralmente é uma combinação de vários fatores desfavoráveis, dos quais os traumas na parede interna das veias das pernas e a ocorrência de um processo inflamatório no interior do vaso são mais significativos. Fatores provocadores aceleram a formação de oclusão e aumentam o risco de um coágulo sanguíneo com o desenvolvimento de complicações perigosas.

As causas de tromboflebite dos membros inferiores estão associadas à obstrução de uma infecção intravascular, o que aumenta significativamente o risco à vida e à saúde humanas.

Opções para lesões oclusivas

Os seguintes tipos de doenças vasculares são a base para problemas trombóticos:

  1. Veias varicosas das veias safenas das extremidades inferiores;
  2. Tromboflebite, afetando os troncos vasculares superficiais ou profundos;
  3. Síndrome pós-tromboflebite.

Com qualquer variante de alterações patológicas nos vasos, são formadas condições para o fechamento total ou parcial do lúmen das veias. Os problemas nas pernas são mais facilmente detectados com trombose oclusiva da grande veia safena. No contexto da trombose profunda das pernas, a gravidade dos sintomas é baixa. De qualquer forma, no contexto de varizes, é necessário monitorar cuidadosamente as manifestações externas da doença, mesmo se não houver sinais de trombose venosa.

Manifestações e sintomas

Em cada situação específica, é necessário monitorar a presença de sintomas, dependendo da doença. Pode-se suspeitar de trombose nas pernas se houver os seguintes sintomas:

  • a perna dói regularmente ao caminhar;
  • no contexto da carga ou em repouso, dor na virilha em mulheres e homens ou desconforto na superfície interna da coxa;
  • ocorre inchaço do pé ou da perna;
  • a cor da pele muda, especialmente em áreas de veias dilatadas;
  • a temperatura corporal aumenta.

Todas as variedades de lesões oclusivas das veias têm características próprias: é importante saber quais são os sintomas da tromboflebite e quais são os primeiros sinais de trombose.

Varizes das pernas

Os problemas de veias ocorrem mais frequentemente em mulheres. As manifestações típicas da doença incluem os seguintes sintomas:

  • alterações externas na pele das pernas associadas ao aparecimento de veias dilatadas e complicadas;
  • síndrome da dor de gravidade variável (de sensações de puxar a dores intensas após o exercício);
  • o aparecimento de cãibras nas pernas, principalmente à noite.

Na ausência de complicações, as varizes das pernas são um problema cosmético e um fator de risco para trombose. É extremamente difícil entender de forma independente quando a situação piora e como é um coágulo na perna; portanto, se uma síndrome da dor aparecer ou piorar, você deve consultar imediatamente um médico.

Doença Varicosa Complicada

O processo inflamatório nas varizes cria condições para complicações perigosas: o diagnóstico oportuno da tromboflebite nas extremidades inferiores é o principal fator na prevenção de distúrbios graves do fluxo sanguíneo nas pernas associadas à obstrução vascular. A tromboflebite é caracterizada pelos seguintes sintomas:

  • aumento da temperatura corporal geral;
  • manter a temperatura normal da perna dolorida;
  • tom de pele azulado devido a pequenas veias safenas dilatadas;
  • dor intensa nas pernas quando em movimento e em repouso;
  • inchaço dos tecidos.

A detecção e o tratamento da tromboflebite aguda das veias safenas devem ser realizados em ambiente hospitalar: é estritamente inaceitável a automedicação usando métodos alternativos ineficazes.

Oclusão de veias surais

A localização mais comum da trombose nas pernas que ocorre inicialmente é o sistema de veias nas pernas (profundas) surais. Os sinais típicos de um coágulo de sangue na perna são:

  • dor de gravidade variável na região da panturrilha em repouso e quando tocada;
  • inchaço dos pés e tornozelos;
  • sensação de plenitude interna do membro inferior após um dia útil.

É difícil identificar trombose das veias da perna, portanto, mantendo as queixas, é necessário consultar o médico a tempo e realizar um exame completo.

Trombose da veia da coxa

O bloqueio da veia safena da coxa é manifestado pelos seguintes sinais marcantes:

  • dor intensa, como se veias nas pernas doessem;
  • edema do tornozelo femoral;
  • tom de pele cianótico com expansão de veias superficiais;
  • dor na virilha recorrente.

Frequentemente, é precisamente a síndrome da dor expressa com trombose e o aparecimento de uma malha enrolada de vasos dilatados que ajuda a fazer um diagnóstico preciso. O maior risco de desenvolver embolia pulmonar decorre da formação de um trombo na área dos plexos venosos da pelve e da coxa; portanto, é necessário monitorar o estado do sistema vascular das extremidades inferiores e realizar terapia preventiva a tempo.

Princípios de diagnóstico

Um cirurgião vascular ou flebologista sabe como detectar um coágulo sanguíneo e o que fazer quando existe um alto risco de tromboembolismo. A base de um diagnóstico bem-sucedido é uma visita oportuna a um especialista. Além do exame padrão e dos testes especiais, o médico o encaminhará para os seguintes estudos:

  1. Determinação laboratorial do estado do sistema de coagulação sanguínea por um coagulograma;
  2. Ultra-sonografia triplex;
  3. Pletismografia por impedância (determinação do volume de sangue venoso acumulado nos vasos das pernas);
  4. Termografia (avaliação da reação da temperatura em diferentes partes da perna dolorida);
  5. Flebografia (método de contraste de raios-X que ajuda a detectar trombose nas pernas);
  6. A tomografia (TC ou RM) é realizada de acordo com as indicações no estágio de preparação da intervenção cirúrgica.

Na recepção do flebologista

O objetivo principal de um exame completo é determinar a presença e o local da oclusão. Além disso, o médico precisa determinar com precisão a possibilidade de complicações e o risco de tromboembolismo: conhecendo o perigo de trombose de perna, é importante tratar a trombose de membros inferiores com a permissão obrigatória para deterioração súbita e o aparecimento de sintomas de bloqueio de vasos vitais.

Táticas de tratamento

Se uma lesão oclusiva for detectada nas veias das pernas, a terapia efetiva deve ser iniciada o mais cedo possível. Dependendo do tipo de doença e da gravidade dos distúrbios do fluxo sanguíneo, são utilizados 2 métodos principais de tratamento:

O médico sabe como tratar a trombose; portanto, você deve ouvir um especialista e seguir cuidadosamente todos os conselhos e recomendações de um flebologista.

Tratamento medicamentoso

As tarefas obrigatórias e mais importantes da terapia conservadora incluem:

  • restauração da perviedade do vaso e melhora do fluxo sanguíneo venoso;
  • impedindo um aumento adicional no tamanho do coágulo de sangue formado;
  • prevenção de episódios repetidos de obstrução venosa;
  • eliminação do risco de separação de coágulos sanguíneos e prevenção de tromboembolismo mortal;
  • prevenção de uma forma crônica da doença – doença pós-tromboflebite.

O principal e mais eficaz tipo de medicamento são os anticoagulantes, com os quais o médico pode reduzir o tamanho do coágulo intravascular e evitar o risco de tipos perigosos de tromboembolismo. Além disso, na terapia complexa, são necessários conta-gotas com soluções que reduzem a viscosidade do sangue e várias variantes de preparações vasculares.

terapia cirúrgica

A principal tarefa da intervenção cirúrgica é eliminar a oclusão. A trombectomia é realizada por acesso aberto, mas apenas em situações de emergência. São utilizadas 2 opções – trombectomia completa e parcial (paliativa). Em alguns casos, é necessário impor uma anastomose vascular para restaurar o fluxo sanguíneo normal no membro. Para cada paciente, o médico selecionará um método de tratamento individual.

A intervenção planejada envolve o uso de métodos minimamente invasivos realizados sob o controle da flebografia.

As opções cirúrgicas endovasculares (trombólise, filtro cava) ajudam a minimizar o risco de complicações durante a cirurgia e a remover com sucesso o coágulo do sistema venoso das pernas. No pós-operatório, a medicação deve ser continuada, com duração de vários meses. Obrigatória será a supervisão médica durante todo o curso da terapia.

Complicações

As conseqüências perigosas da trombose são embolia pulmonar e gangrena das pernas com cessação completa do fluxo sanguíneo nos vasos. Qualquer uma dessas situações ameaça a vida e a saúde de uma pessoa, portanto, é necessário cumprir rigorosamente todas as prescrições médicas e usar as medidas preventivas recomendadas. Usar meias de compressão, medicação constante e parar de fumar com correção da atividade física ajudará a prevenir situações de risco de vida.

Os sintomas de bloqueio venoso podem ocorrer inesperadamente. Se houver primeiros sinais de coágulo sanguíneo na perna, você precisará procurar um especialista o mais rápido possível: quanto mais cedo for feito um diagnóstico e iniciada a terapia, maiores serão as chances de evitar doenças. A ajuda ideal pode ser fornecida por um cirurgião vascular ou flebologista. A eficácia da terapia depende da localização do bloqueio, do tamanho do coágulo e do estado do sistema de coagulação sanguínea. O prognóstico para cada pessoa é individual: mesmo sabendo como reconhecer um coágulo sanguíneo e com uma visita precoce a um médico, nem sempre é possível evitar complicações.

Nanovein  Bronquite em adultos - sintomas e tratamento em casa

Recomendamos assistir a um vídeo com informações úteis sobre trombose nas pernas

Coágulo sanguíneo na perna: sintomas e tratamento da trombose vascular

A trombose dos vasos das pernas é uma doença muito insidiosa, sua essência está no aparecimento de coágulos sanguíneos, chamados coágulos sanguíneos. Em seguida, essas formações obstruem as lacunas dentro das veias ou artérias, aderindo às suas paredes. O perigo da doença está no fato de que, com o bloqueio completo do espaço vascular, eles interferem na circulação sanguínea normal dos membros.

Em cada caso de trombose, os sintomas podem diferir significativamente, portanto, não há sinais inequívocos de coágulo de sangue na perna. Por esse motivo, a determinação oportuna da doença pode ser complicada. Neste artigo, vamos nos familiarizar com os fatores que causam a trombose e descobrir como ela é tratada.

Trombose e sua classificação

A natureza criou o líquido do sangue humano, e a manutenção desse estado ocorre devido ao equilíbrio das reações biológicas. Coágulos sanguíneos são coágulos sanguíneos que tendem a se unir às paredes dos vasos sanguíneos.

Uma característica dessas formações é o aumento constante de tamanho se não houver tratamento adequado. Eles crescem o tempo todo e, um dia, serão capazes de bloquear o lúmen do vaso.

Então, como são os coágulos de sangue na perna? A foto mostra os sintomas externos da trombose:

Importante! A formação de coágulos ocorre devido a três fatores: alterações na superfície de uma veia ou parede da artéria, uma diminuição na velocidade do fluxo sanguíneo e uma anormalidade genética na composição do sangue.

Em pessoas mais velhas, a trombose é muito mais comum do que em crianças, mas os bebês não são protegidos contra coágulos.

Coágulos sanguíneos podem ser localizados nas veias ou artérias de uma pessoa. Dependendo disso, existem diferentes tipos de trombose. Formações com fibras de fibrina e plaquetas alteradas na estrutura são compostas.

Variedades da doença devido à localização:

  • Aterosclerose Coronariana. Refere-se a trombose arterial. Com essa doença, um vaso entupido por um trombo para de suprir sangue e ocorre isquemia, o que leva à disfunção e depois à necrose das células do órgão doente.
  • Flebotrombose. Coágulos sanguíneos ocorrem na parte venosa da circulação sanguínea. A doença é perigosa porque também representa uma ameaça à vida humana, pois a formação de sangue pode bloquear a artéria pulmonar. A gravidade da doença depende da localização do trombo e do bloqueio do lúmen da veia.
  • Tromboflebite. A essência dessa doença é a presença de um processo inflamatório e o aparecimento de coágulos sanguíneos. Como resultado, selos e vermelhidão da pele se formam na perna. Esse tipo é caracterizado por complicações que requerem cirurgia.
  • Trombofilia Esta é uma predisposição para a ocorrência e desenvolvimento de trombose em várias partes dos vasos. Ocorre com tendência genética ou como resultado de patologia celular adquirida, bem como devido a um distúrbio hemorrágico.

Na maioria das vezes, as consequências de um coágulo sanguíneo na perna são que os vasos entupidos não podem fornecer totalmente nutrição aos tecidos dos membros e começam a morrer gradualmente, o que pode provocar gangrena.

O mais perigoso é a separação de um coágulo de sangue do seu lugar. Nesta situação, existe um alto risco de entrar na corrente sanguínea na artéria coronária ou pulmonar do corpo. E um coágulo sanguíneo pode causar um estado de derrame se bloquear o vaso que alimenta o cérebro.

Como um coágulo sanguíneo não permite o funcionamento normal do corpo humano, a consequência pode ser uma erupção cutânea, um aumento no nível de eosinófilos, o desenvolvimento de cianose (cianose) devido à deficiência de oxigênio.

Sintomas: como identificar um coágulo de sangue na perna

As pernas humanas são a parte do corpo em que a trombose ocorre frequentemente, porque as pessoas recebem grandes cargas nas extremidades inferiores porque se movem na posição vertical. Há uma lista de sinais de trombose vascular.

A doença começa com inchaço das pernas e uma sensação de dor. Em seguida, alguns desses sintomas ocorrem:

  • a temperatura sobe;
  • calafrios ocorrem;
  • surtos de pressão estão presentes;
  • os linfonodos ficam inflamados;
  • a cor da pele na perna dolorida muda – adquire uma tonalidade vermelha ou fica azul;
  • Cãibras nas panturrilhas incomodam.

Com a formação de trombose na veia externa no membro inferior, o coágulo pode ser determinado por palpação. Se ocorrer tromboflebite, o descascamento da pele e a presença de hematomas ainda podem estar presentes.

Quando a doença é aguda, a pessoa fica acamada: dor intensa não permite movimento.

Importante! Se você não notar os primeiros sintomas de um coágulo sanguíneo, depois de um certo período a doença piorará e, em seguida, poderá formar necrose tecidual e gangrena. Assim, uma ameaça à vida humana é criada.

Ileofemoral

A trombose ileofemoral é caracterizada por um curso grave. Com este tipo de doença, há um alto risco de embolia pulmonar. Formações sólidas aparecem nos vasos ao nível das veias femoral e ilíaca.

A doença ocorre pelos mesmos motivos e apresenta os mesmos sintomas que em outros tipos de trombose. O desenvolvimento da doença é rápido. Finalmente, o diagnóstico é determinado pelo ultrassom dos vasos das extremidades inferiores. O tratamento é semelhante ao tratamento de outros tipos de trombose.

Fatores que provocam o desenvolvimento de doenças vasculares

O que contribui para a trombose? A primeira razão é o aumento da capacidade do sangue coagular. Os 2 motivos a seguir são fluxo sanguíneo lento e alterações na superfície das paredes dos vasos sanguíneos.

Existem fatores que contribuem para o aumento do risco de trombose, são eles:

  • a presença de obesidade;
  • fumar;
  • gravidez, incluindo parto e cesariana;
  • a presença de infecção;
  • imobilidade;
  • velhice;
  • tomar medicamentos que aumentam a coagulação sanguínea;
  • intervenções cirúrgicas;
  • veias varicosas.

Como reconhecê-lo

Para saber o que fazer com trombose, você precisa ter certeza de que esses são realmente seus sinais. Você também deve determinar a forma da doença. É agudo, subagudo e crônico.

A trombose crônica geralmente passa despercebida, portanto o paciente pode não perceber que esta doença está em seu corpo.

A trombose aguda é caracterizada pelos seguintes sintomas:

  • dor intensa nos músculos da perna;
  • desconforto ao apertar músculos das pernas;
  • a presença de inchaço;
  • descoloração da pele de uma perna dolorida.

É possível diagnosticar independentemente o estágio agudo da doença, e o paciente, conhecendo os sinais de um descolamento de trombo, também é capaz de determinar o fato de um descolamento de trombo do local anterior. Se um coágulo de sangue em uma perna se soltar, os sintomas são os seguintes:

  • menor pressão arterial;
  • palpitações cardíacas;
  • uma sensação de dor no peito (com um ataque cardíaco);
  • incoerência da fala, dificuldade em engolir (com um derrame);
  • retenção de líquidos;
  • perda de consciência.

Muitas vezes, há um coágulo se rompendo devido à sua natureza migratória e ao rápido movimento do fluxo sanguíneo nas veias.

Curso terapêutico

Todos os adultos já ouviram falar dessa terrível doença – trombose. Portanto, muitos que têm coágulo de sangue na perna, em pânico, decidem o que fazer a seguir.

E o tratamento desta doença depende da localização (artéria ou veia), do tamanho do coágulo formado, da seção específica do vaso em que está conectado e do bem-estar geral do paciente.

A magnitude e a localização exata do trombo são determinadas pelo diagnóstico. Então segue um curso terapêutico.

O tratamento de coágulos sanguíneos nas veias das pernas é dividido nos seguintes estágios:

  • remoção da educação em áreas acessíveis;
  • prevenção de complicações;
  • minimizar as consequências da formação de coágulos;
  • prevenção de recorrência da doença.

Quando um coágulo de sangue em uma perna explode e se aproxima do coração ou cérebro, pode levar ao bloqueio dos vasos sanguíneos na forma de acidente vascular cerebral, ataque cardíaco ou embolia pulmonar. Portanto, existe um medicamento capaz de dissolver coágulos sanguíneos. Ele deve entrar no corpo humano o mais tardar três horas após o início do ataque.

Se houver necessidade, são prescritos procedimentos invasivos (cirurgia vascular, inserção de cateter, que simplificará a administração de medicamentos para dissolução de sangue, a instalação de um stent para aumentar o lúmen nas veias ou artérias).

Anticoagulantes, medicamentos que impedem a coagulação do sangue e a formação de coágulos, também ajudam a eliminar os sintomas de um coágulo de sangue na perna e tratá-lo. Isso é varfarina ou heparina.

O que se segue é terapia com agentes antiplaquetários. Destina-se a reduzir a "viscosidade" das plaquetas.

Os seguintes agentes antiplaquetários são prescritos: Trental, Curantil, Reopoligyukin.

Em um curso terapêutico, além de recursos para administração oral, também são utilizados medicamentos externos.

São pomadas que aliviam a dor e reduzem o processo inflamatório.

Bons produtos à base de castanha, heparina, alcatrão. Estes são os medicamentos: Lyoton, Vishnevsky pomada, Hepatrombin.

Importante! O objetivo da terapia é evitar o entupimento de um coágulo rasgado do lúmen do vaso e proteger os pulmões, e o médico prescreve como tratar os coágulos sanguíneos nas pernas individualmente.

Conclusão

Para evitar a formação de trombose, as pernas precisam de movimento. Também é necessário beber mais líquido. Ainda é necessário curar varizes.

A prevenção de trombose em pacientes acamados é realizada com exercícios especiais.

Depois de revisar o material deste artigo, você já saberá exatamente como reconhecer um coágulo de sangue na perna para poder marcar uma consulta com um especialista a tempo.

Lagranmasade Portugal