Causas de trombose da veia porta em uma idade jovem

A trombose da veia porta é uma doença caracterizada pela formação de um coágulo sanguíneo que bloqueia total ou parcialmente a corrente sanguínea. Na maioria das vezes, essas condições são diagnosticadas em idosos e requerem tratamento imediato. Com o tempo, a trombose da veia porta leva ao desenvolvimento de complicações perigosas, incluindo sangramento intestinal.

As varizes são facilmente eliminadas sem cirurgia! Para isso, muitos europeus usam Nanovein. Segundo os flebologistas, este é o método mais rápido e eficaz para eliminar varizes!

Nanovein é um gel peptídico para o tratamento de varizes. É absolutamente eficaz em qualquer estágio da manifestação de varizes. A composição do gel inclui 25 componentes curativos exclusivamente naturais. Em apenas 30 dias de uso deste medicamento, você pode se livrar não apenas dos sintomas das varizes, mas também de eliminar as conseqüências e a causa de sua ocorrência, além de impedir o re-desenvolvimento da patologia.

Você pode comprar Nanovein no site do fabricante.

Características da doença

A veia porta fornece transporte de sangue do sistema digestivo para o fígado, onde as toxinas são removidas. As formas de trombose da veia porta são diferenciadas pela localização do bloqueio e pelo tamanho do coágulo, além de manifestações de distúrbios circulatórios. Como resultado da dificuldade no fluxo venoso, as alterações patológicas ocorrem não apenas nos órgãos abdominais, mas em todo o corpo.

As principais causas de trombose portal são doenças hepáticas: cirrose, neoplasias. Além disso, a patologia infecciosa pode contribuir para a obstrução. Existem também fatores predisponentes, cuja presença aumenta significativamente o risco de desenvolver a doença:

  • insuficiência cardíaca;
  • hipotensão;
  • neoplasias nos órgãos abdominais;
  • velhice;
  • processos estagnados causados ​​pela atividade motora reduzida;
  • processos inflamatórios crônicos;
  • gravidez múltipla pode provocar um aperto da veia porta.

Em 50% dos casos, a causa do desenvolvimento de trombose da veia porta não pode ser estabelecida.

Os principais tipos de trombose do portal: aguda e crônica. O bloqueio agudo se desenvolve em poucos minutos, o risco de morte devido a complicações é alto. A forma crônica é caracterizada por uma deterioração gradual do fluxo sanguíneo, a princípio os sintomas podem não ser óbvios, uma vez que se formam colaterais.

Sintomas de trombose aguda da veia porta:

  • dor aguda;
  • inchaço;
  • diarréia;
  • sangramento intestinal;
  • náusea, vômito;
  • febre.

Na forma crônica da trombose, ocorrem sintomas de hipertensão portal: o primeiro sinal pode estar sangrando pelos vasos dilatados do esôfago e do estômago; em outros casos, há dor abdominal – cólica biliar, icterícia se desenvolve, inflamação dos ductos biliares e da vesícula biliar, e o baço aumenta. Muitas vezes, essa forma da doença não apresenta sintomas e é detectada por ultrassom ou quando o paciente consulta um médico sobre as complicações que surgiram.

O tratamento de pacientes com trombose de veias portais visa eliminar o processo patológico, interromper os sintomas, prevenir complicações e restaurar a circulação sanguínea. Dependendo da gravidade e natureza da doença, é prescrita terapia conservadora ou cirurgia é realizada.

O tratamento conservador da trombose da veia porta é baseado no uso de medicamentos:

  • anticoagulantes diretos e indiretos (heparina, varfarina);
  • trombolíticos (estreptoquinase);
  • drogas de reposição de plasma (Reopoliglyukin);
  • hepatoprotetores (gepatobeno);
  • Glucocorticosteróide (Prednisolona);
  • cloreto de sódio e glicose para eliminar os efeitos da intoxicação;
  • antibióticos para combater a infecção bacteriana (ceftriaxona);
  • diuréticos para eliminar a ascite (furosemida).

A terapia medicamentosa é realizada por 3 dias. Se durante esse período não houver alívio da condição do paciente, a questão da intervenção cirúrgica está sendo decidida. É possível executar uma das opções de operação:

  • Com o uso da sonda Sengstaken-Blackmore, inserida na cavidade do estômago, esse dispositivo permite bombear ar e espremer as veias do esôfago, o efeito dura 2 dias e a cada 6 horas a pressão diminui;
  • a introdução de agentes esclerosantes nos vasos dilatados do esôfago;
  • a criação de anastomoses: esplenorrenal ou mesentérica-caval;
  • Cirurgia de Tanner para sangramento prolongado e contínuo.

O tratamento da trombose da veia porta é realizado em condições estacionárias, sob a supervisão de um médico. Após a cirurgia, deve-se seguir um curso de reabilitação com a indicação de agentes de suporte; ao atingir um estado estável, o paciente recebe alta, mas é necessária observação.

Prevenção

Para a prevenção da trombose da veia porta, deve-se manter um nível normal de atividade física, alimentação adequada, renúncia a maus hábitos e fortalecimento do sistema cardiovascular. No entanto, mesmo a implementação de todas as recomendações para manter um estilo de vida saudável não pode excluir completamente o desenvolvimento de trombose da veia porta portal. É necessário monitorar cuidadosamente o estado de sua saúde, fazer exames médicos periodicamente e consultar um médico em caso de sintomas perturbadores.

Nanovein  Cirurgia de varizes (2)

Características da trombose da veia porta

A trombose da veia porta é uma condição que é acompanhada pela formação de coágulos sanguíneos no sistema da veia porta, o que pode provocar um bloqueio do lúmen desse vaso. Como você sabe, a veia porta é uma das estruturas vasculares mais importantes que garantem a saída normal de sangue do trato digestivo. É por isso que sua trombose é um processo patológico sério que pode causar perturbações agudas no funcionamento dos elementos orgânicos da cavidade abdominal. A doença é diagnosticada principalmente em pacientes idosos que tendem a aumentar a coagulação do sangue e a formação de coágulos intravasculares.

O processo patológico e suas primeiras manifestações requerem uma resposta imediata de uma pessoa e buscam ajuda médica. Caso contrário, a progressão dessa condição pode ser complicada por um bloqueio completo da veia porta e morte.

As principais causas de trombose

Discutindo os aspectos etiológicos do desenvolvimento da trombose das veias portais, não será supérfluo listar as principais causas dessa condição patológica:

  • a predisposição genética de uma pessoa para coágulos sanguíneos nos vasos venosos;
  • malformações congênitas da veia porta;
  • a presença no corpo de focos de infecção crônica;
  • pleflebite purulenta aguda ou dano bacteriano na parede da veia porta;
  • aumento da coagulação do sangue;
  • lesão de veia cística;
  • inchaço de um vaso ou estruturas de órgãos adjacentes;
  • pouco antes da trombose, intervenções cirúrgicas nos órgãos abdominais;
  • cirrose do fígado;
  • gravidez;
  • situações estressantes.

As verdadeiras causas do desenvolvimento da doença permanecem desconhecidas em quase metade dos casos clínicos de trombose de veias portais.

O quadro clínico da doença

Na maioria dos casos clínicos, os sintomas de uma condição patológica se desenvolvem gradualmente, com sintomas característicos para cada um dos estágios da doença. Menos comumente, a trombose da veia porta portal tem um início agudo. Independentemente da causa da formação de coágulos sanguíneos nos vasos portais, a doença é acompanhada por um estreitamento do lúmen da veia, o que contribui para o rápido aumento dos sinais de hipertensão portal. Isso leva a hemorragias extensas das veias dilatadas do esôfago e a disfunção da saída normal de sangue do trato digestivo.

Entre os principais sintomas da trombose da veia porta estão:

  • inchaço;
  • falta de apetite, função de evacuação comprometida;
  • fígado aumentado em tamanho;
  • esplenomegalia ou baço aumentado;
  • violação do regime de temperatura;
  • amarelo da pele.

Em vários casos clínicos, o único sintoma de trombose no sistema da veia porta é a ectericidade da esclera, que deve levar o paciente a pensar em possíveis violações do vaso porta. Com o tempo, uma pessoa começa a apresentar uma dor opaca no fígado, e o próprio órgão à palpação torna-se aumentado, denso ao toque e esburacado. Em qualquer cenário, você não deve se automedicar, mas deve consultar um médico para obter um diagnóstico detalhado da condição patológica e resolver os principais problemas terapêuticos relacionados à sua eliminação.

O que ajudará a confirmar o diagnóstico?

É permitido ao médico suspeitar do desenvolvimento do processo patológico pelos sintomas característicos da doença, pela presença de hipertensão portal sem manifestações pronunciadas de cirrose hepática, pela presença na história do paciente do fato de intervenções cirúrgicas nos órgãos abdominais. O diagnóstico de trombose da veia porta só pode ser confirmado usando métodos instrumentais de diagnóstico modernos, incluindo:

  • flebografia de contraste, que atualmente é um dos métodos mais eficazes e informativos para determinar coágulos sanguíneos em uma veia;
  • ultrassonografia da cavidade abdominal e veia porta;
  • tomografia computadorizada com a obtenção de imagens objetivas que oferecem uma oportunidade real de confirmar a presença de coágulos sanguíneos no sistema da veia porta;
  • RM com realce pelo contraste, que permite determinar a localização exata do trombo, seu tamanho e localização em relação ao lúmen da veia.

O diagnóstico da doença pode ser feito ambulatorialmente ou em ambiente hospitalar. Além disso, exames laboratoriais podem ser prescritos para uma pessoa. Usando um coagulograma, é possível avaliar a condição do sistema de coagulação sanguínea e confirmar a presença de sua disfunção.

Como é tratada a trombose?

Atualmente, o tratamento da doença está sendo implementado por meio de técnicas conservadoras e cirúrgicas. A conveniência de prescrever um método específico de terapia depende da gravidade do processo patológico, das características individuais do corpo do paciente e da presença de contra-indicações para vários tipos de manipulação. De qualquer forma, o tratamento da trombose deve ser qualificado e imediato, pois sua ausência pode levar ao desenvolvimento de complicações e morte.

O tratamento conservador tem vários objetivos:

  • prevenção do aumento da atividade do sistema de coagulação sanguínea;
  • afinamento do sangue;
  • redução de manifestações de hipertensão portal.

Como regra, essa terapia ocorre nos estágios iniciais da doença e consiste na nomeação de anticoagulantes e agentes antiagregantes plaquetários para uma pessoa, o que permite interromper os ataques. Em casos raros, quando um coágulo sanguíneo no fígado é acompanhado por pleflebite, o paciente recebe cursos de terapia antibacteriana, que deve ser realizada sob a estrita supervisão do médico assistente.

Nanovein  5 melhores medicamentos para fortalecimento vascular

Com o desenvolvimento de sangramento das veias dilatadas do esôfago, o paciente deve ser hospitalizado imediatamente. Em um hospital, agentes hemostáticos são administrados a esses pacientes e uma sonda é inserida para interromper o sangramento. A falta de efeito de tais eventos é uma indicação absoluta para a pronta correção de uma condição patológica.

O tratamento cirúrgico é utilizado em pacientes cujo bloqueio das veias provocou trombose aguda, bem como em pacientes com formas graves e complicadas da doença. Com a ajuda de técnicas cirúrgicas modernas, os cirurgiões protetizam uma seção de uma veia afetada por um trombo ou criam anastomoses venosas que permitem que o sangue desvie de um vaso bloqueado. Esse tratamento é muito difícil tecnicamente. Os pacientes submetidos a essas operações precisam de uma longa reabilitação, o que não garante uma recuperação completa.

Como prevenir doenças?

Você pode impedir o desenvolvimento dessa condição patológica se seguir as recomendações de especialistas. Antes de tudo, atenção à prevenção de trombose deve ser prestada a pessoas em risco ou que foram submetidas recentemente a cirurgia nos órgãos abdominais. Entre as medidas preventivas estão:

  • normalização da dieta com restrição de alimentos que causam coagulação sanguínea anormal;
  • exclusão do cardápio de álcool, cafeína e chocolate;
  • cessação do tabagismo;
  • fortalecer as paredes dos vasos sanguíneos usando meios conhecidos pela ciência;
  • estilo de vida ativo;
  • a implementação de exercícios para tonificar o corpo e prevenir a ocorrência de congestão;
  • andando no ar fresco;
  • exames preventivos regulares por um médico.

Mas mesmo a implementação de todas as recomendações não garante que uma pessoa não tenha trombose da veia porta. Portanto, você deve ter cuidado com seu estado de saúde e, se ocorrerem sintomas de ansiedade, vá imediatamente a uma consulta com um especialista.

Assista a um vídeo sobre hipertensão portal, resultando em trombose das veias portais:

Trombose da veia porta

A veia porta é um grande vaso transportando sangue dos órgãos digestivos para o fígado para purificá-lo de toxinas. No fígado, um grande vaso é dividido em veias menores, adequadas para os segmentos hepáticos. Com a trombose da veia porta, um coágulo sanguíneo bloqueia o lúmen vascular, causando obstrução total ou parcial (oclusão). A doença está localizada em qualquer parte da veia porta.

A categoria etária dos pacientes mais suscetíveis à patologia são os idosos, com menos frequência os recém-nascidos. Uma categoria separada são as mulheres grávidas que desenvolveram eclâmpsia nas fases posteriores da gestação. Um sinal característico da eclâmpsia é a coagulação do sangue em todos os grandes vasos, incluindo a veia porta.

Causas do desenvolvimento

A razão para a formação de um coágulo sanguíneo na veia porta é uma violação do fluxo sanguíneo. Na metade dos casos, a base da patologia é uma violação funcional do fígado. Outras causas podem estar relacionadas a distúrbios infecciosos e somáticos.

Tromboembolismo da veia hepática;

Câncer do fígado;

Infecção do coto do cordão umbilical em recém-nascidos;

Tumores da cavidade abdominal de qualquer etiologia;

Síndrome de Badda-kiari – trombose fora do assado;

Operações nos órgãos digestivos;

As consequências da remoção do baço;

Pilephlebitis na anamnésia;

Aumento da densidade sanguínea;

Infecção da veia umbilical no feto;

Inflamação bacteriana aguda (constritiva) do saco cardíaco.

Classificação da trombose da veia porta

A doença é classificada por várias razões.

Por hora da ocorrência:

Trombose aguda – o desenvolvimento do processo patológico ocorre na velocidade da luz; em 5 a 7 minutos, o paciente morre devido a necrose do trato digestivo (fígado, baço, intestino, estômago, pâncreas);

Trombose crônica – o fluxo sanguíneo na veia não para imediatamente, devido ao crescente trombo, diminui gradualmente, enquanto um caminho alternativo do fluxo sanguíneo é formado para contornar a área obstruída.

Estágios da trombose:

A localização de um trombo é a transição da veia porta para a veia esplênica, a área de distribuição é inferior a 50% do sistema vascular.

Localização de um trombo – uma seção ao navio mesentérico.

A área de distribuição no terceiro estágio é composta por todas as veias peritoneais.

No quarto estágio, ocorre um distúrbio circulatório extenso.

Sintomas de trombose da veia porta

Este tipo de trombose não apresenta sintomas específicos. As manifestações da doença podem ser semelhantes aos sintomas de hepatite, câncer ou cirrose hepática, gastrite, pancreatite, colite, enterite. Eles dependem da localização do coágulo sanguíneo que bloqueia o fluxo sanguíneo em várias partes do sistema da veia porta.

Sintomas de trombose do tronco:

Dor no hipocôndrio esquerdo, na região epigástrica;

Lagranmasade Portugal